Acredito na educação como único meio de formação e mudança para todo e qualquer povo. Ela é o motor de qualquer cidade, estado e país. Lugares com educação de qualidade têm profissionais mais qualificados, fator que contribui com o crescimento econômico do país.

Ou seja, a educação é o remédio para a maioria dos males. Contudo, não há como falar em melhora na qualidade da educação sem debater sobre a valorização dos professores. É fato que ganham menos do que outros profissionais com níveis similares de formação.

Mais reconhecimento

Pesquisa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), divulgado neste ano, mostra que os professores de escolas públicas ganham, em média, 25% menos do que profissionais assalariados de outras áreas com mesmo nível de formação.

Da mesma forma, também é preciso lutar por uma jornada de trabalho compatível com os afazeres escolares. Até para que consigam concluir cursos de formação inicial e continuada e participar de projetos pedagógicos da escola.

Dessa maneira, ganha o professor, que consegue se atualizar e se dedicar completamente a uma só escola. E também o aluno, que irá aprender com profissionais especializados. Isso é fundamental para elevar o nível de qualificação no mercado de trabalho.

O mesmo estudo diz ainda que muitos professores não são formados na área em que lecionam. Em 2016, na educação infantil, 53,4% não tinham formação superior adequada à área que atuam. No ensino fundamental, o percentual chegava a 49,1% nos anos finais, do 6º ao 9º ano, e 41% nos anos iniciais, do 1º ao 5º ano. No ensino médio, 39,6% não tinham formação adequada.

Leia também  Participação popular na BNCC do Ensino Médio

Jornada Dupla

O que acontece é que muitos professores precisam ter dois trabalhos para chegar perto do salário ideal. Consequentemente, ficam mais cansados com o tempo de deslocamento e o trabalho dobrado, além de terem menos tempo para cursos de atualização.

São esses profissionais que formam as crianças e adolescentes. E são esses formandos que vão posteriormente para o mercado de trabalho, que não à toa sofre com mão de obra desqualificada. Sendo assim, é preciso olhar com atenção e sensibilidade para essas questões.

Falar de educação é falar sobre o futuro do país. Então, esse debate não pode ficar para depois. Vou lutar para que as vozes dos professores sejam ouvidas.

Você pode saber mais sobre o que penso a respeito da Educação neste vídeo: