Obras de infraestrutura são essenciais para o crescimento do país. Entretanto, os benefícios vão além do que se imagina, porque são eficientes também como forma de ajudar a aumentar o número empregos. O Brasil tem quase 13 milhões de desempregados, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No entanto, falta trabalho para 27,6 milhões de pessoas, número recorde no país.

Nessa conta, estão também 8,1 milhões de pessoas que poderiam trabalhar, mas não trabalham, seja porque desistiram de procurar emprego ou porque não têm disponibilidade por algum motivo, como mulheres que cuidam dos filhos. Além de 6,6 milhões de pessoas que trabalham menos de 40 horas por semana, mas gostariam de estender esse tempo e não conseguem.

Obras de infraestrutura

Como costumo dizer, ter moradia vai muito além de uma questão de casa e lar, é também condição de dignidade, de saúde, de educação, de segurança e de proteção. Além do básico, como água encanada, rede de esgoto e energia elétrica, é importante ter todos os serviços públicos e de qualidade à disposição.

Cabe ao governo investir em obras de infraestrutura, construir escolas, hospitais, postos de saúde, áreas de lazer e melhorar a mobilidade urbana, principalmente em regiões mais carentes. Essa é uma forma de gerar empregos e aumentar a qualidade de vida do cidadão, mas também de estruturar a região e torná-la um local em que todos desejam morar.

Leia também  Educação como meio de transformação

Locais estruturados e com boas opções de mobilidade são mais valorizados, atraem os olhares para empreendimentos imobiliários e impulsionam o surgimento de mais negócios na região, como restaurantes, lojas e mercados. Dessa forma, aumentam também a criação de postos de trabalho em outros segmentos.

Crescimento econômico

Ou seja, investimentos em obras de infraestruturas criam empregos de maneira rápida na área de construção e influenciam na geração de vagas a médio e longo prazos em outros campos. Além de potencializar o crescimento econômico da região. Um dos motivos é porque diminui o índice de desemprego e aumenta o poder de compra do cidadão. Ou seja, mais dinheiro circula.

Claro que essa não é – e nem deve ser – a única forma de aumentar o número de empregos. Entre as minhas propostas está também expandir as vagas no ensino técnico para aumentar a capacitação dos jovens e qualificar a mão de obra do cidadão. Com especialização, é um pouco mais fácil ir em busca de trabalho. O mercado sofre exatamente com falta de mão de obra qualificada para preencher as vagas. Além disso, é possível ter salários mais altos se o jovem possui conhecimentos específicos.

Educação e investimentos em infraestrutura são fundamentais para um crescimento permanente e sustentável do mercado de trabalho. Eu conto com vocês para, juntos, podermos lutar por mais oportunidades para todos.

Leia também  Apoio do governador para representar a Zona Leste e as periferias