Como o Zika Vírus está relacionado ao aumento dos casos de microcefalia no país, sua prevenção é ainda mais importante. E por que eu estou trazendo este assunto? Porque saúde também tem tudo a ver com sustentabilidade urbana e consciência sustentável e eu vou explicar por que.

O Zika Vírus é uma infecção causada pelo vírus ZIKA, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue e da febre chikungunya. Esse vírus já apareceu em Uganda em 1947, na Nigéria em 1954, Oceania em 2007, França em 2013 e – infelizmente – chegou ao Brasil no ano passado, com os primeiros casos no Rio Grande do Norte e na Bahia.

Como agora estamos ouvindo falar muito de possíveis vítimas contaminadas no sudeste e em São Paulo é importante lembrar o que podemos fazer, o que está ao seu alcance direto e o que isso tem relação com sustentabilidade e porque estou associando esta notícia com uma de minhas causas.

Por exemplo, a água parada em qualquer local, pneu velho, vasos de planta, ou em resíduos de lixo, reproduz o mosquito transmissor. Então, a primeira vilã é a água parada e é necessário desfazer-se dessa possibilidade – seja em casa ou no trabalho.

Ainda sobre o lixo, não despeje lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos. Assim você garante que eles ficarão desobstruídos, evitando acúmulo e até mesmo enchentes. Em casa, deixe as latas de lixo sempre bem tampadas!

O controle do Zika também está centrado no controle do vetor, como por exemplo, mantendo a moradia sempre limpa, eliminando os possíveis criadouros que possam aparecer na sua casa ou em seu apartamento, pois – infelizmente – os mosquitos voam alto.

Outro ponto que pode ajudar a prevenir é colocar telas nas portas e janelas, que protegem a casa porque impedem a entrada dos mosquitos. Uma boa dica é comprar tecidos fininhos como tule e cortar exatamente do tamanho da janela. A seguir deve-se costurar nas suas extremidades uma fita de velcro e aplicar o macho desta mesma fita em volta das janelas. Essa é uma alterativa econômica e fácil de lavar, que pode ser adotada para se proteger do inseto.

As roupas também podem ajudar, minimizando a exposição da pele durante o dia, quando os mosquitos são mais ativos. Blusas de manga longa e calças são mais indicadas, principalmente em futuras mães ou mulheres já grávidas. Como estamos no verão, a sugestão é ainda optar por tecidos mais frescos.

Repelentes também podem e devem ser aplicados na pele exposta ou até mesmo nas roupas, dependendo da região em que se mora ou local a ser visitado. Nenhum cuidado é demais!

As palavras de ordem então são eliminar, vedar e cuidar: esses são os meios de evitar que o mosquito nasça e possa se transformar em vetor de doenças. Elimine tudo que pode acumular água, vede ainda as caixas d’água e recipientes que guardam a água; e cuide dos potenciais criadouros que não podem ser eliminados.

Combinado?

Vamos vencer esta batalha juntos!