Este ano de 2016 já foi marcado por diversos episódios relacionados com a política, com tragédias e polêmicas nacionais e internacionais, mas neste mês de agosto temos a oportunidade de ter a esperança nacional – e por que não mundial – reavivada por meio do esporte.

Sempre enxerguei o esporte como uma grande chance para crianças, jovens e adultos – cidadãos no geral que buscam motivação na atividade física, seja por prazer ou para ‘mudar de vida’ como vemos em muitos depoimentos e entrevistas com atletas nos noticiários; e não é para menos.

Além de se exercitar ser uma prática bastante positiva para a saúde das pessoas, temos o fator de encaminhamento para o lazer e para a cidadania de crianças e jovens no Brasil. Por ser tratar de Olimpíadas, temos ainda o quesito cultura que pode e deve ser muito bem explorado tanto por brasileiros, quanto por delegações de seleções de outros países e turistas que vem para o Rio de Janeiro torcer pelos seus países.

O Rio de Janeiro, e consequentemente todo o sudeste, deve ser palco para incentivar e elevar as taxas de trabalho e novos empregos – mesmo que temporários no país e locais no estado – e movimentar nossa economia de forma muito positiva.  Resta ao Brasil mostrar se vai conseguir realizar com êxito as Olimpíadas do Rio, apesar de toda essa atual crise política e econômica que o país, infelizmente, está enfrentando.

O presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, comentou na imprensa sobre a crise que o Brasil vive. Segundo ele, isso não vai tirar o brilho das competições: “os jogos olímpicos serão uma mensagem de esperança nestes tempos difíceis e a chama da Tocha Olímpica vai carregar esta mensagem para todo o Brasil e para o mundo. O momento difícil que o Brasil está passando vai lembrar que todos nós fazemos parte da mesma humanidade”, afirmou Bach.

Estou com ele nesse discurso e mais uma vez enfatizo que acredito no Brasil e no brasileiro e, depois do Rio 2016 teremos as eleições como novo motor de muita esperança para o nosso país daqui pra frente!

Se fomos escolhidos para sediar a Copa do Mundo em 2014 e agora os jogos olímpicos, quem sou eu para não acreditar no nosso país?!

Muitos estão comentando os recentes episódios que envolveram as tochas olímpicas, os animais, os momentos inflacionados que relacionam a Olimpíada que ainda nem começou e será iniciada na sexta (5), mas a minha mensagem é uma só: que o evento esportivo traga esperança para você, para mim, para todos nós; para o nosso país!

Que os erros fiquem no passado e que a partir do dia 5 tenhamos ainda mais motivos de nos sentirmos orgulhosos pelo país que vivemos.

Estarei em São Paulo, mas torcendo pelo Brasil e para que tudo dê certo.

Que tenhamos um legado positivo com esse megaevento!

Emiliano Zapata