Você sabia que em 5 de junho é celebrado o Dia Mundial do Meio Ambiente? Em 1972, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu oficialmente o Dia Mundial do Meio Ambiente, que passou a ser comemorado todo dia 05 de junho globalmente.

A data em questão foi selecionada para coincidir com a data de realização dessa conferência, com a principal premissa de chamar a atenção de todas as esferas da população para os problemas ambientais e para a importância da preservação dos recursos naturais, que até então eram considerados, por muitos, inesgotáveis, mas que – infelizmente – a cada dia vemos que não são inesgotáveis e agora precisaremos ‘correr’ para que isso efetivamente não ocorra.

Então, o que comemorar? Temos motivos para celebrar esse dia no mundo, no Brasil, em São Paulo? Como anda nosso estado, nossa cidade, o que estamos fazendo por nossa comunidade, bairro e em nosso próprio lar para melhorar esse quesito tão importante?

Nesse aspecto tenho e defendo com muita propriedade a causa por Sustentabilidade Urbana, que pretende – entre outras coisas – colocar em prática campanhas para ações serem realizadas na cidade, em prol da sustentabilidade no ambiente urbano, ou seja, ao meio ambiente que não é e nem deve ser menos verde por tratar de uma grande cidade como São Paulo.

Mais do que uma causa em prol da defesa ao meio ambiente, trago e proponho muitas reflexões sobre o assunto, como o recente post com os novos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU – extremamente rico para nos ajudar, de fato, a entrarmos em alerta.

O número 13, por exemplo, é assustador: as emissões de gases de efeito estufa oriundos da atividade humana continuam aumentando. Elas alcançaram atualmente seus maiores nível da história. Onde vamos parar? Em seguida, temos o 14 sobre a conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável. Você sabia que 40% dos oceanos do mundo são altamente afetados pelas atividades humanas? Incluindo poluição, diminuição de pesca e perda de habitats costeiros?

Por que estou trazendo ‘só’ dois dos dezessete objetivos? Por que são dois pontos que só dependem de nós para serem melhorados, no nosso dia a dia, seja evitando a utilização de carros de forma excessiva, compartilhando carona e estimulando-nos a utilizarmos transporte público e bicicletas para ajudar no objetivo 13. E o que falar da questão dos oceanos? Só depende de nós não poluirmos nossos mares, desfrutar com sabedoria, aproveitar as férias sem desrespeitar o habitat costeiro, diminuindo a pesca… E os recentes episódios acompanhados pela mídia, por exemplo, de seres humanos fazendo selfie com animais marítimos? Consegue entender que não são grandes objetivos, se começarmos por atitudes de cada um de nós, nossas famílias, nossos amigos.

Meio Ambiente em pauta no Sesc São Paulo

Bem, já que a data é comemorativa e já fiz minha reflexão e compartilhei aqui, aproveito para informar que há dez anos, o Sesc São Paulo concentra uma série de ações socioeducativas em sua programação e neste ano – e aproveitando o Dia Mundial do Meio Ambiente – não foi diferente. Neste ano, o foco é a questão das áreas verdes urbanas. A escolha desse recorte encontra sintonia com diversos coletivos de mobilização social atuantes na conservação de praças, parques e hortas urbanas.

Já nas áreas mais afastadas dos grandes centros, a lógica do desenvolvimento, por vezes, desconsidera a relevância das áreas verdes em favor de outras necessidades, como moradia, consumo e serviços. É inegável que as áreas verdes contribuem para a saúde ambiental, uma vez que ajudam na melhoria do microclima e na qualidade do ar, regulando a umidade e a temperatura; atraem e mantêm a biodiversidade; permitem maior permeabilidade e fertilidade do solo; preservam as nascentes e os cursos d’água; e, além disso, auxiliam no conforto acústico atenuando os níveis de ruído.

8582b8a4-1d57-41b8-ac7f-336bde09718d

De maneira integrada, a programação do Sesc oferecerá atividades que buscam sensibilizar os participantes para o uso cuidadoso e a conservação desses espaços como lugares de bem-estar e convívio.

Para quem é do interior da cidade, uma das minhas sugestões é a Mostra de Alimentos Orgânicos, no Sesc Campinas, no sábado (dia 4) para conhecer o universo dos produtores orgânicos. É gratuita, veja. Mas, para quem está na capital a ação educativa “Frutas Nativas da Mata Atlântica” acontece no mesmo dia, também gratuita, no Sesc Campo Limpo – acesse.

Uma outra dica bem bacana é a “Exposição e venda de alimentos orgânicos”, como: frutas, verduras e hortaliças produzidas pelo grupo de agricultores da região Leste, que acontece de 5 a 12 de junho – também de forma gratuita – no Sesc Itaquera. Clique aqui e participe!

aab08445-8efd-4461-b655-d5b38ad71e1d

Outra sugestão, já rolando e gratuita até 19/06, é a exposição Amazônia Ocupada, veja aqui. Esta fica no Sesc Taubaté!

Bem, essas são só algumas ideias, mas você pode encontrar a programação completa aqui. Aproveite para ativar a consciência ambiental que tanto precisamos e usar esse lazer a favor do meio ambiente!

Por fim, deixo um vídeo externo “O que alguns jovens, que moram na cidade de São Paulo, acham das áreas verdes?” e o meu conteúdo sobre essa causa, caso queira saber mais:

Plante hoje para colher amanhã! Feliz Dia Mundial do Meio Ambiente!

Emiliano Zapata