Nas últimas semanas estive presente em duas manifestações que ocorreram em defesa da democracia e, de fato, foram experiências muito gratificantes para mim – tanto como cidadão, como pré-candidato a vereador de São Paulo.

Encontrei, em ambos os dias de manifestação, pessoas que estavam completamente alinhadas com meus ideais, minhas experiências, causas e com tudo o que eu acredito como ativista e político. A esquerda dos anos 80 e a esquerda dos dias atuais estavam presentes, agregando conteúdos umas as outras, e promovendo um debate de forma coerente e extremamente civilizado.

A defesa da democracia, sem dúvidas, era então a maior questão entre todos ali presentes. Vi pessoas que apoiam o governo da atual presidente Dilma Rousseff,  e os que fazem oposição ao mesmo, mas que estavam ali, caminhando lado a lado, sem ódio, violência ou qualquer tipo de agressividade.

As manifestações em questão contemplavam todos aqueles que estavam lutando pela manutenção da democracia, além daqueles que lutam por reformas políticas, justiça social e todas as causas de viés socialistas – que sem dúvidas não começaram em 2012 ou recentemente.

Voltei para casa com uma mistura de sensações: percebi que não estava sozinho com todos os meus ideais, que buscam representar justamente essas minorias e grupos que historicamente foram esquecidos pela sociedade, pessoas que por longos anos não tiveram voz e muito menos espaço no Brasil.

Alegremente me dei conta que a esquerda está mais viva do que nunca, atenta a tudo que está acontecendo e que jamais vai permitir um golpe institucional aconteça novamente, pois nossa trajetória sempre foi marcada por incansáveis batalhas em busca dos nossos direitos; essa não foi a primeira e pelo andar da carruagem não será a última.

A minha maior certeza nesse momento é que as nossas vozes a favor da democracia vão ecoar pelo nosso país, conscientizando todos aqueles que ainda não compreenderam a complexidade do movimento golpista em questão.

Quero que todos nós, cidadãos, caminhemos unidos, não só nas manifestações das quais orgulhosamente fiz parte, mas todos os dias, pois dessa forma vamos transformar não só a política, mas toda nossa realidade de forma que a vontade da maioria prevaleça, sempre, não só nas eleições!

Não vai ter golpe e viva a democracia reavivada, mais do que sempre!

Emiliano Zapata