A educação é parte fundamental de um conjunto de direitos sociais, que preza pelo valor de igualdade entre as pessoas. Mas, como estruturar – na parte – a educação de forma que ela seja contempladora, multiplicadora, robusta, disseminadora e, ao mesmo tempo, igual para todo o tipo de ser humano e cidadão digna, de forma realmente completa e sem diferenciar sua condição social?

Minha causa Educação contempladora condiz totalmente com o motor do presente e futuro, incluindo todas as condições necessárias para ensinar, formar, desenvolver e – enfim – multiplicar o conhecimento em todas as vertentes e de maneira que cada indivíduo seja capacitado de forma plural – com a contemplação e o aprofundamento que cada pessoa merece, seja ela aluno ou até mesmo professor, ou seja, a contemplação inclusive no modo de ensinar.

Ou você acha que as pessoas aprendem e ensinam exatamente de uma única a e similar forma? Pesquisadores de Harvard afirmam, e conseguem comprovar, que existem sete (7) tipos de inteligência e – por isso – precisamos entender como conhecer, introduzir e – de fato – aplicar esses formatos para transformá-los em habilidades.

Quero ajudar a garantir esse direito à educação, reconhecido pela Constituição Federal de 1988, de forma transversal, multiplicadora e totalmente contempladora para estimular o exercício fundamental para cidadania e qualificação: por meio do conhecimento.