Quem não quer ter uma casa? Quem não merece um lar? Mas, quantos têm – de fato – uma residência? A moradia foi reconhecida como direito humano em 1948, com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, tornando-se um direito humano universal, em todas as partes do mundo, como um dos direitos fundamentais para a vida das pessoas.

Vários tratados internacionais após essa data reafirmaram que os Estados têm a obrigação de promover e proteger este direito, mas ele de fato é aplicado? Hoje, diversas iniciativas, projetos e textos – inclusive da Organização das Nações Unidas (ONU) – são colocados em pauta reconhecendo na teoria o Direito à moradia. Entretanto, a implementação deste direito ainda é um grande desafio – sobretudo no Brasil.

Acredito, defendo e luto pelo direito à moradia – que é a alma de qualquer cidadão que queira se considerar digno!